Franceses, por que sempre estão colocando fogo nas coisas?

Explicando a identidade dos protestos franceses.

Franceses, parecem calmos e delicados com seu sotaque fino e elegante, sempre lembrados pela arte, cinema, museus, e claro, por queimar as coisas quando estão irritados. Mas, por quê? Por quê franceses tem essa estranha prática e como isso se tornou um símbolo moderno de revolta francesa?

Pra entendermos o modo como os franceses protestam hoje, precisamos voltar em 2005, sim, quando as Pussycat Dolls ainda faziam sucesso. Nessa época, a França passava por grandes manifestações do povo contra a violência e injustiça policial contra os jovens das perifeiras. No dia 27 de outubro de 2005, 2 adolescentes de 15 e 17 anos foram encontrados mortos, eletrocutados em um transformador elétrico na cidade de Clichy-sous-Bois, os jovens estavam sendo perseguidos pela polícia.

Foi quando começaram as manifestações de revolta por toda a França e duraram 3 semanas. Durante essas 3 semanas, cerca de 10 mil carros foram incendiados na França. E assim começou uma tradição de protesto, mas por que carros?

Bem, carros são mais fáceis de queimar, eles estão quase sempre cheios de combustíveis e chamam atenção quando estão pegando fogo.

Mas não vá pensando que os franceses são degenerados e queimam qualquer carro, não é assim não, na maioria das vezes são carros velhos que estão estacionados em locais públicos, e o mais interessante, os donos dos carros são coniventes com a queima dos seus carros, porquê existe uma lei que estipula que todo cidadão com um salário inferior a 2.000 euros por mês, se tiver o carro queimado, receberá 4.000 euros de reparação, mesmo o carro sendo velho e não valendo mais nada.

Então, não é só um protesto físico, estiloso e chamativo, é econômico também, porquê ele atinge as grandes concessionárias e empresas de seguro. E não há nenhuma maneira de evitar isso, não dá pra vigiar todos os carros de várias cidades da França, e a população francesa está cada vez mais furiosa e indignada, só em 2018 foram cerca de 1031 carros queimados, principalmente no Ano Novo e no Dia da Bastilha, eles colocariam fogo até na Torre Eiffel se fosse preciso.

Para a ironia do destino, em 2018 ocorreu um aumento nos impostos sobre combustíveis, com intenção de reduzir as emissões de carbono da França. O diesel é o combustível usado pelos franceses, e para os franceses, carros são indispensáveis no seu cotidiano. Mas parecem que eles não pensam muito nisso quando queimam os próprios carros.

Iniciou-se uma revolta contra o atual presidente da França, Emmanuel Macron, que tem se mostrado perdido e atrapalhado, como num filme onde um jovem menino é contratado para cozinhar num restaurante mas não tem habilidade nenhuma pra isso, só que dessa vez não tem nenhum rato pra te salvar Sr. Macron.

O que podemos dizer é que a França está passando por uma flambagem. Flambar vem do francês flamber, que significa “passar pela chama”. Para flambar uma carne, por exemplo, você precisa adicionar uma bebida alcoólica na carne e colocar fogo pra que o alcool evapore e depois só reste o aroma como tempero. Nesse caso, o diesel é a bebida alcoólica que vai acentuar o aroma do futuro cenário político na França, as manifestações dos ‘Coletes Amarelos’ juntou pessoas tanto de esquerda quanto de direita, e isso é interessante, mas precisam ter cuidado pra carne não passar do ponto como aconteceu aqui no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published.